× Início Criatividade Economia Criativa Educação Inovação Aberta O Ecossistema Sobre o LabCriativo
× Direito Services Clients Contact

Saiba quais são as três chaves para uma inovação disruptiva

A inovação precisa fazer parte do plano de negócios de cada empresa e deve ser um processo estrategicamente seguido em longo prazo

Tempo de leitura estimado: 3 min

Na recente conferência da International M&A Partners (IMAP) em Miami, a audiência financeira global aprendeu sobre inovação e como a ruptura está afetando indústrias de todos os tamanhos e em todos os setores. John Nottingham, diretor da consultoria de design Nottingham Spirk, de Cleveland, ofereceu uma série de ideias-chave e melhores práticas para promover uma inovação disruptiva em qualquer empresa.

Embora todos os empresários devam pensar em inovação, a Nottingham especializou-se no tema durante décadas. Ele e sua empresa desenvolveram mais de 1.200 patentes nos EUA e no mundo, gerando mais de US $ 50 bilhões em vendas de produtos médicos e de consumo inovadores, vendidos por empresas como a Procter&Gamble, Unilever, Kraft, GE, Philips, Black&Decker, Medtronic, Avon e M&M Mars.

E que inovação é essa? Um exemplo é a lata de tinta da marca Dutch Boy, que teve a venda triplicada nos seis primeiros meses, simplesmente porque passaram a ter alça embutida, tampa de rosca e bico integrado. Assim, as pessoas não precisam mais abrir a lata com uma chave de fenda e fechá-la com um martelo. Uma ideia simples, que transformou toda a família de marcas da Sherwin-Williams.

Aqui estão três tópicos importantes sobre inovação e interrupção:

1 – Não é apenas algo que você faz na quinta-feira

Inovação é processo. É claro que grandes ideias chegam no chuveiro, mas se uma empresa realmente quer inovar, precisa criar um plano de ação de inovação, executá-lo e responsabilizar as pessoas. De acordo com a Nottingham, a maioria das empresas gasta cerca de 95% de seu tempo em inovação básica, 4% em inovação adjacente e 1% em inovação disruptiva. A equação, afirma Nottingham, precisa ser reformulada da seguinte maneira:

Inovação de 70% do núcleo = ROI de 10%

20% de inovação adjacente = 20% de ROI

Inovação disruptiva de 10% = ROI de 70%

Eis o porquê: o retorno do investimento para a inovação disruptiva é muito mais atraente do que para a inovação principal. De acordo com a Nottingham, embora fundamental, a inovação central normalmente oferece um ROI de 10%. A inovação disruptiva, por outro lado, oferece um ROI de 70%.

Se você realmente quiser mudar paradigmas e agitar o universo conhecido, concentre-se em mais interrupções e menos em inovações adjacentes ou centrais. E não pergunte à equipe que está trabalhando para fazer alterações iterativas e centrais para também pensar em interrupção e vice-versa.

2 – Faça testes

Todos nós já vimos ideias aparentemente ótimas para produtos ou serviços que nunca obtêm tração. Somos uma nação de inovadores, mas apenas 5% das patentes são comercializadas e 97% nunca ganham dinheiro.

Por quê? A maioria dos empreendedores e empresas hesita quando perguntam se o produto pode ser fabricado e licenciado a um preço competitivo. Antes de entrar em produção em massa e antes de assumir grandes compromissos financeiros para fabricar, a Nottingham defende o trabalho e testes para determinar a viabilidade do produto em tempo real.

Ainda sobre a Dutch Boy, primeiro a empresa tentou em um mercado (que se acreditava que seria uma boa amostra representativa) e só depois que o produto saiu das prateleiras no mercado de testes, a Sherwin Williams levou a lata Pour&Twist para todo o país. Hoje, a Amazon facilita o teste de produtos de mercado on-line, garantindo dados detalhados de vendas e feedback dos compradores.

3 – A inovação deve ser o foco de cada CEO

O tempo provou que as grandes empresas são melhores em comprar inovações do que em fazê-las por conta própria. Empresas de menor porte e de médio porte têm a vantagem de serem ágeis e não se atolarem à burocracia, e os caras grandes sabem disso. Cerca de 20 anos atrás, Bill Gates foi perguntado sobre o que ele estava preocupado com a Microsoft, e ele não disse grandes concorrentes como a Apple ou a Oracle. Ele disse: "Eu me preocupo com alguém em uma garagem inventando algo que eu não tenha pensado".

A inovação precisa fazer parte do plano de negócios de cada empresa e deve ser um processo que deve ser estrategicamente seguido em longo prazo. Sua empresa está pronta?

Postado em 20 de Dezembro de 2018 às 19:00

Lucas Foster
LabCriativo / Editor

Fundador e CEO do LabCriativo



Em alta
Últimas postagens

Veja também

Brasileiro é o maior colecionador de vinil do mundo

São mais de 5 milhões de discos na coleção do paulistano José Roberto Alves Freitas tem mais de 5 milhões de discos! Apaixonado por música desde muito novo, Zero Freitas, como também é conhecido, começou sua coleção aos 11 anos de idade ...

Lucas Foster
LabCriativo / Editor

Shutterstock publica relatório sobre as tendências criativas para 2019

Infográfico mostra o que causará impacto, com base em pesquisas de usuários Com base em bilhões de pesquisas de imagens, vídeos e músicas e downloads de clientes, a Shutterstock publicou seu Relatório Anual de Tendências Criativas para o ano de 2019. O ...

Lucas Foster
LabCriativo / Editor

Adesivo para tratamento de Alzheimer já está disponível no SUS

Formato diminui os efeitos colaterais do tratamento O Sistema Único de Saúde (SUS) já está distribuindo rivastigmina em forma de adesivo para pacientes de Alzheimer, doença neurodegenerativa sem cura conhecida. O remédio é um composto que aumenta a quantidade de acetilcolina, uma ...

Lucas Foster
LabCriativo / Editor

Cadeira feita de resíduos do oceano sugere a mobília do futuro

Não é apenas plástico reciclado – é economia circular, e é linda! Estonteante é a cadeira verde esmeralda, com luxuosos redemoinhos de mármore! Você poderia esperar que esta cadeira custa apenas US $ 100? E foi feito de redes oceânicas recicladas?Esta é a ...

Lucas Foster
LabCriativo / Editor

Episódio da série ‘Corações e mentes, escolas que transformam’ está disponível gratuitamente

Produção mostra práticas de escolas que abriram espaço para novas formas de educar, ser e conviver A volta às aulas é um momento oportuno para as escolas valorizarem o trabalho em equipe e o exercitarem junto a educadores, estudantes e suas famílias ...

Lucas Foster
LabCriativo / Editor