×
×

Análise compara o impacto ecológico da carne vegetal com o da carne bovina

O custo ambiental da criação de gado é muito, muito alto

Tempo de leitura estimado: 3 min

A mais nova versão do Impossible Burger – uma carne à base de plantas que usa a ciência dos alimentos para reproduzir o sabor e a textura da carne bovina – gera uma emissão de carbono 89% menor do que um hambúrguer feito de vaca.

Uma nova análise descobriu que o hambúrguer vegetal também usa 87% menos água, 96% menos terra e reduz a contaminação da água em 92% a menos que a carne animal.

Esses números devem-se às melhorias realizadas na última versão do Impossible Burger, em parte porque a empresa se tornou mais eficiente à medida que cresce e porque mudou do trigo para a soja como ingrediente-chave. Mas a maior parte do impacto vem simplesmente do fato de que o produto não é feito de um animal.

“A maneira melhor, mais rápida e fácil de tornar a carne mais sustentável é evitar a vaca”, diz Rebekah Moses, gerente sênior de estratégia de impacto da Impossible Foods. "Ao fazer o Impossible Burger diretamente das plantas, temos o luxo de evitar a fase mais ineficiente de todo o sistema alimentar". As vacas são conhecidas por sua produção de gás estufa – a maior fonte de emissões de metano na agricultura – e também exigem uma alimentação com grandes quantidades de terra, água, fertilizantes e, muitas vezes, exigem também o desmatamento. O esterco da vaca também é um dos principais fatores de poluição.

Analisando cada etapa da produção do hambúrguer vegetal, a partir da água e energia usada para produzir heme, o ingrediente que dá ao hambúrguer um sabor semelhante ao sangue, aos recursos usados ​​para cultivar outros ingredientes, como soja e batata, e produzir a embalagem, conclui-se que o produto usa 4% da terra necessária para produzir carne bovina. “Essa é uma estimativa muito conservadora da nossa parte – a maioria dos bovinos em todo o mundo exige muito mais terra do que essa estimativa”, diz Moses. “É por isso que a carne bovina é a principal causa do desmatamento na Amazônia”.

De acordo com a empresa, se um indivíduo trocar 1 kg de carne moída por 1 kg de Impossible Burguer, ele economiza, sozinho, 7 kg de emissões de gases de efeito estufa, 90 litros de água e 88 metros quadrados de terra.

Ainda que alguns consumidores escolham a carne à base de vegetais por razões ambientais, a startup não está confiando na sustentabilidade para vender o produto. “O que realmente queríamos era criar um produto delicioso que pudesse competir com a carne bovina no sabor e na textura”, diz ela. "Esse é o principal motivador para a maioria das pessoas, e só assim poderemos fornecer uma opção mais amigável para o planeta. Os atributos de sustentabilidade são, para a maioria dos consumidores, ‘bons de se ter’ na escolha de alimentos, mas não a força motriz da compra".

Postado em 10 de Maio de 2019 às 18:00

Top Posts
LabCriativo / Editor



Em alta
Últimas postagens

Veja também

Terminal desativado em aeroporto ganha nova vida e vira hotel de luxo retrô

O Aeroporto Internacional de Nova York, John F. Kennedy, inaugurou no dia 15 de maio de 2019, seu primeiro hotel interno …

Top Posts
LabCriativo / Editor

Lucas Foster faz palestra no Rock in Rio Innovation Week 2019

Com foco no desenvolvimento humano, segunda edição do evento ocorre de 2 a 5 de julho, em Lisboa. Por acreditar que …

Top Posts
LabCriativo / Editor

Mãe criativa transforma os aparelhos auditivos de crianças em super-heróis

Com um filho de 4 anos diagnosticado com surdez profunda e perda auditiva apenas alguns meses após seu nascimento, Sarah Ivermee …

Top Posts
LabCriativo / Editor