Matéria do Olhar Digital.
Veja alguns aplicativos que podem ajudar a recuperar aparelhos que sumiram por meio do GPS
Everton Helfstein, gerente de marketing, brindou seu último aniversário com uma dose dupla de pura sorte! Poucos dias antes de esquecer seu iPhone dentro de um táxi, a caminho da festa, ele havia atualizado o sistema operacional do aparelho. A nova versão trazia um serviço de localização em caso de perda ou roubo do telefone.

Everton diz que, “se não tivesse feito isso, teria perdido o aparelho, os contatos e e-mails importantes. Tem muita coisa ali, pois é praticamente um computador”. Assim que deu falta do telefone, Everton acessou o site do serviço de localização..

Ele diz que é uma sensação estranha: “Você começa a ficar com mais medo, porque você vê ele indo embora para mais distante de você”. Ele diz que a primeira coisa que pensou foi em bloquear e mandar um recado: “Se o taxista encontrar, o que ele faria com um celular bloqueado? A não se que ele tenha má fé em buscar alguém para desbloquear o aparelho”, explica.
Uma hora depois, já comemorando, Everton estava com seu aparelho de volta. A mensagem que ele enviou chegou até o taxista, que levou o iPhone de volta ao seu dono.

Num caso ainda mais recente, Camila Lopes, gerente de mídias sociais, não teve qualquer sorte! Vítima de um sequestro relâmpago, ela ficou quatro horas em poder dos criminosos e perdeu, além da bolsa e todos os documentos, um iPad e um iPhone. “Eu estava com meu carro, eles me deixaram em um local distante e levaram tudo o que eu tinha”.
Já na delegacia, ela tentou acessar o mesmo serviço que encontrou o telefone do Everton esquecido no táxi, mas a surpresa foi decepcionante. Ao tentar localizar o aparelho por diversas vezes, ela recebeu a mensagem de “serviço indisponível”.

No dia seguinte, o carro da Camila foi encontrado e o iPad continuava lá, escondido embaixo do banco, como ela havia deixado. Infelizmente, quando ela mais precisou, a localização do aparelho não funcionou e ainda conseguiu deixá-la mais irritada.

Ela conta que, quando chegou até o carro, viu que o iPad estava ligado, e pensou que o serviço de localização havia falhado. Mas, quando chegou em casa, recebeu um e-mail dizendo que o aparelho havia sido localizado: “Bom, foi localizado por mim ou pela polícia, mas não pelo aparelho”, brinca.
Estes casos servem para deixar uma dica muito importante para quem vive com smartphones e tablets para cima e para baixo todos os dias. Ninguém está 100% livre de perder, esquecer ou, no pior dos casos, ter o dispositivo roubado. Esses serviços de geolocalização já ajudaram a polícia a encontrar criminosos em diversas partes do mundo, mas, como vimos no caso da Camila, eles não estão imunes a falhas.

Mantenha-se criativo! Lhe sugerimos estes:

 

Receba nossas atualizações no seu e-mail: